Manifesto Abrolhar

A SOCIEDADE GALEGA CONTRA A CRIMINALIZAÇOM
DAS IDEIAS E A PERSECUÇOM DO INDEPENDENTISMO

As pessoas abaixo-assinadas, desde distintos setores sociais, sindicais, culturais e políticos deste País, sendo conhecedoras da detençom de 9 independentistas galeg@s em 2015 no marco da Operación Jaro e da sua imputaçom em imaginários delitos que podem supor o seu encarceramento, e estando preocupadas com a ilegalizaçom da organizaçom independentista Causa Galiza pola Audiencia Nacional que, a posteriori, foi “legalizada” por este mesmo tribunal,

PROCLAMAMOS

1º Que denunciamos e rechaçamos, com absoluta claridade e contundência, a montagem policial e judicial iniciada em 2015 contra umha organizaçom política e a sua militáncia com a pretensom de criminalizar e minorizar um posicionamento político digno e legítimo como é a constituiçom da Galiza em Estado como acontece hoje noutras naçons de Europa e debilitar, ainda mais, o estado atual das liberdades democráticas na Galiza.

2º Que exigimos do Governo espanhol, último responsável por esta operaçom, o arquivo definitivo da causa penal aberta a nove independentistas galegas e galegos no tribunal sucessor do TOP da Ditadura simplesmente por serem isso: independentistas que trabalham e luitam pola construçom e a liberaçom nacional deste País.

3º Reclamamos das autoridades espanholas o cessamento unilateral e imediato deste tipo de operativos repressivos cuja exclusiva finalidade é satanizar um projeto político e furtar à sociedade galega o debate livre, aberto e plural de ideias e perspetivas de País que é inerente a qualquer sistema que se proclame “democrático”.

4º Por último, convidamos os galegos e as galegas a participar na mobilizaçom nacional que convocarám @s processad@s e distintos agentes sociais, sindicais e políticos deste País no próximo 23 de abril em Compostela. O objetivo da citada mobilizaçom é reivindicar perante o Governo espanhol os pontos anteriores, desde a consciència de que a mobilizaçom e a pressom social som capazes de desbaratar montagens repressivas de profundo impulso político como a que estamos a contemplar.

Na Galiza, em 21 de março de 2017
Início da Primavera

 

 

PRIMEIR@S ASSINANTES

01. Xosé Lois González Vázquez, 'O Carrabouxo', humorista

02. Helena Miguélez-Carballeira, professora

03. Ánxela Franco Pouso, deputada provincial do BNG pola Corunha e responsável de Igualdade

04. Marcos Cadórniga López, trabalhador de CIG-Serviços

05. Luzia Rua Lourido, militante de Erguer

06. Xosé Luís Rivas Cruz, 'Míni', deputado do BNG no Parlamento autonómico

07. Séchu Sende, professor e escritor

08. Maria Beatriz Doldán Theodosio, ténica de Cultura no Concelho da Corunha

09. Fran P. Lorenzo, Prémio Blanco Amor de Novela 2015

10. Ismael Romero Saborido, remeiro do Clube Cabo de Cruz

11. Ana Pérez Fernández, secretária de Justiça Social de Podemos Galiza e advogada

12. Xesús Manuel Pinheiro Rebolo, jornalista de Sermos Galiza

13. Luz Fandinho Rodríguez, emigrante retornada

14. Xosé María Torné, consultor de Comunicaçom Social, Politica e Empresarial. Desenhador.

15. Mariola Mourelo Pérez, feminista e facilitadora de grupos

16. Xesús Domínguez Domínguez, ativista das Preferentes

17. Rocío Sampaio David, membro da Assembleia Aberta de Bemposta (Ourense)

18. Maurício Castro Lopes, membro do Coletivo Editor do Diário Liberdade

19. Eire García Cid, feminista autónoma e independentista

20. Beatriz Peres Bieites, ativista cultural no Centro Social A Gentalha do Pichel

21. Aarón L. Rivas, membro do Conselho de Redaçom de Novas da Galiza

22. Cristina Amor Faia, militante de Compostela Aberta

23. Marcos Paino, músico e produtor

24. Iria Méndez, jornalista

25. Patrícia Cordo Ares, trabalhadora de Telemarketing e delegada sindical da CIG

26. José Emílio Vicente Caneda, professor, jornalista e membro da Executiva Nacional do BNG

27. Laura Bugalho Sánchez, transfeminista

28. Daniel Salgado, jornalista e poeta

29. Simeón Cantó Gavira, vocalista de Keltoi

30. Mario Maceiras Dosil, desenhador gráfico e militante do BNG de Carnota

31. Peregrina Ferrenho Garcia, trabalhadora da Junta da Galiza

32. Leonardo Fernández Campos, 'Leo', cantante e artista

33. Bráulio Amaro Caamaño, professor

34. Renato Núñez da Silva, militante do Movemento polos Dereitos Civis

35. Zélia Garcia Parra, membro de Galiza Contrainfo

36. Alonso Caxade, músico e mestre

37. Manuel María García Fernández, 'Mánu Santero', responsável comarcal do BNG de Muros-Noia

38. Afonso Garcia Fuentes, militante de Ceivar

39. Cristina Rodríguez Ramos, militante de Que Voltem para a Casa!

40. Tino Baz, cantautor

41. Xan Carlos Ánsia Rodríguez, sindicalista de CIG-Administraçom

42. María Lago Uhía, responsável local do BNG de Muros

43. Paulo Tobio Espinho, vocalista de Liska

44. Paula Rios Curbeira, ativista feminista em MNG

45. José Manoel González Alonso, membro do Coletivo de Reformad@s da CIG

46. Concepción Rodríguez Pérez, psicoterapeuta e escritora

47. Brenda González Fernández, estudante de Políticas e Jornalismo

48. Fernando Chousinho, 'Tawil', trabalhador

49. Maria Fraiz Castro, educadora infantil

50. Noélia Rodrigues Conde, politóloga

51. Joám Lopes Peres, militante da CIG

52. Pedro M. Cortegoso Gago, militante do Coletivo Nacionalista de Marim

53. Fernando Blanco Arce, advogado

54. Mercedes Teixeiro Gato, ensinante

55. Ana Costoia Viqueira, feminista e jornalista

56. Ernesto Vázquez Souza, bibliotecário

57. Charo Lopes Sanches, jornalista

58. Henrique del Bosque Zapata, mestre
Consulta a listagem completa no interior

Cubre os dados do formulário que aparece a seguir e engadiremos o teu nome e apelidos à listagem de pessoas que exprimem a sua adesom pública a esta declaraçom.

FORMULÁRIO DE ASSINATURA

Anúncios